Seguidores: OBRIGADA POR VCS FAZEREM DE MIM UMA PESSOA MELHOR A CADA DIA.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

CINCO FRASES QUE VOCÊ NÃO DEVE DIZER AO SEU FILHO

Eu li a mensagem abaixo no site, http://diganaoaerotizacaoinfantil.wordpress.com/ e concordo com o seu conteúdo. Acredito que possa ser útil outras pessoas também. Meu abraço fraterno a todos.
Miss Cleusa Klein.



5 frases que você NÃO deve dizer ao seu filho


Você certamente sabe que o primeiro contato de uma criança com o mundo acontece dentro da família e que os adultos, portanto, tem um papel fundamental na formação da personalidade e identidade social de uma criança. Por isso, tanto os seus atos quanto aquilo que você diz para o seu filho tem grande importância – e podem ter um impacto positivo ou negativo sobre ele.
Segundo a da professora de psicologia da faculdade Pequeno Príncipe (PR) , ligada ao hospital de mesmo nome, Mariel Bautzel, toda a estrutura psíquica e social de uma pessoa é formada na primeira infância. “Não é raro vermos adultos que não sabem lidar com os próprios sentimentos ou que desconfiam muito do outro”, explica a especialista. Para ela, a causa pode estar lá atrás, na infância.
Pensando nisso, com a ajuda de Mariel e também da psicoterapeuta do hospital Infantil Sabará (SP), Germana Savoy, listamos cinco frases que você NÃO deve dizer ao seu filho.
“Pára de chorar” 
A clássica frase inibe a expressão do sentimento da criança, sendo que o ideal é que você a ensine a lidar com as próprias emoções. “Sempre aconselho que os pais mostrem uma alternativa para o filho. Uma boa saída é pedir que eles mantenham a calma no momento do choro”, diz Germana.
“Volte já para a sua cama, isso é só um sonho” 
Até os 5 ou 6 anos, os pequenos não sabem diferenciar com precisão o mundo real do mundo dos sonhos, por isso eles não entendem bem quando você disser que aquilo que elas vivenciaram não é real. O melhor é acalentá-lo, dizer que o medo logo vai passar e colocá-lo para dormir na cama dele novamente.
“Essa injeção não vai doer” 
Mentir para o seu filho faz com que a relação de confiança entre vocês seja quebrada. Fale sempre a verdade. Além da dor da injeção, ele também vai ficar magoado por ter sido enganado.
“Você não aprende nada direito” 
Crianças que tem uma referência negativa de si mesmas obviamente ficam com a autoestima prejudicada, explica Germana. E, como elas ainda possuem um mecanismo de defesa pouco desenvolvido, tudo o que um adulto disser terá um impacto enorme. Dizer que elas são burras, ou que nunca vão aprender matemática, por exemplo, pode fazer com que realmente acreditem que tem essas fraquezas.
“Se você não me obedecer, eu vou embora” 
A criança tem de aprender a respeitar os pais pela autoridade – e não por medo de perdê-los ou, pior ainda, de serem maltratados. Ameaças e chantagens estão fora de cogitação.
Claro que, às vezes, os pais acabam falando coisas que não gostariam… Se isso acontecer, não se culpe. O jeito é recuperar a calma e conversar com a criança, explicando que agiu de forma errada.
Fonte: Crescer


4 comentários:

Antonio Porpetta disse...

Gracias por tu comentario, y gracias por esa lluvia de ternura que tienen tus textos.
Un cálido abrazo desde Madrid.

*Patricia* disse...

Infelizmente tem essas 5 muitas outras que pais despreparados dizem aos filhos, como diz o ditado tem palavras que doem mais que um tapa, isso é verdade, as palavras erradas marcam nos a vida para sempre, somente Deus depois para nos libertar, excelente postagem.

CLEUSA KLEIN disse...

A grande verdade é que nossas palavras tem poder... O poder de levantar e o poder de derrubar. Nossa boca foi feita para abençoar e nunca amaldiçoar pessoa alguma. Nossas palavras devem ser ditas para crescimento, para corrigir e para consolar. Corrigir não é ato de covardia e mal tratos verbais, nem para desfazer, é ter a capacidade de mostrar ao outro como pode ser melhor. Precisamos estar em vigilância constante, policiar nossos lábios para que junto com os nossos atos sirvam de exemplo, não só aos nossos filhos, mas tbm para com os de fora.

Obrigada pela visita de vcs.

bjos

Pr. Ivan Pereira disse...

Irmã Cleuza,minha esposa é professora e eu além de pastor também sou professor, e o que temos observado tanto na igreja como na escola e que as famílias estão em muitos casos, claro sempre com as exceções, transferindo a responsabilidade de educar, para o igreja e o estado.Observo que a presença dos pais nesse caso é insubstituível.